São Paulo, 25/06/2019        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 
MORTE CRUEL EM PET SHOP NO IPIRANGA, EM SÃO PAULO


Morte cruel em pet shop
Giginho morreu em um pet shop no Ipiranga

Um cachorro vira-lata de pequeno porte morreu em um pet shop no Ipiranga, Zona Sul de São Paulo, nesta segunda-feira (1º). Segundo o músico Jorge Anielo, de 38 anos, seu cachorro Giginho, de 2 anos, se enforcou com a própria coleira ao ser deixado sozinho por um funcionário.
“Minha mãe o levou para tomar banho. Depois que chegou em casa, recebeu a ligação de que ele estava morto”, afirmou. Segundo o músico, Giginho foi encontrado há seis meses abandonado na rua, durante uma chuva. “Meu pai o levou para casa para trazer paz à minha mãe, que tinha acabado de perder duas cachorrinhas.”
Um funcionário do pet shop Spa Animal que não quis se identificar confirmou a morte, mas disse que foi um "acidente". “Ele vomitou, passou mal. Morreu na própria coleira”, disse, por telefone.
Apesar de ainda ter três cães - Paco Jr., de 12 anos, Joca, de 10, e Nina, de 9, todos vira-latas -, Anielo afirmou estar revoltado e triste com a morte do “caçula” canino. “Sempre tive cachorro e eles geralmente viveram bastante, até uns 12, 13 anos. Agora o Giginho acaba morrendo dessa forma, não está certo.”
O caso foi registrado no 26º DP, no Sacomã. A delegada Arcilla Vega disse que o caso foi uma "fatalidade", que não foram verificados maus-tratos ou imprudência e que cabe ao dono do cão e ao proprietário do pet shop entrarem em um acordo. Ela disse ter orientado o homem a entrar no Juizado Especial Cível caso não haja um acerto entre as partes e ele julgue que mereça ser indenizado.
Anielo disse que pretende processar o proprietário do estabelecimento. O G1 procurou pelo dono do pet shop, mas o funcionário que não quis se identificar desligou o telefone.
Blog - falabicho@ falabicho.org.br

Cão que morreu enforcado em pet shop no Ipiranga, zona sul de São Paulo. O tutor fala: Giginho foi encontrado há seis meses abandonado na rua, durante uma chuva. “Meu pai o levou para casa para trazer paz à minha mãe, que tinha acabado de perder duas cachorrinhas.”
Não podemos mais tolerar que pet shops irresponsáveis, por intermédio de seus funcionários, firam e matem nossos animais. Vamos iniciar uma campanha, exigindo o seguinte:
- certificados dos tosadores e banhistas pendurados na parede do pet shop;
- recibo do banho, e/ou da tosa;
Em caso de maus tratos ou morte do animal, vá à delegacia. Se o delegado se recusar a abrir um BO, peça a ele uma DECLARAÇÃO que você esteve na delegacia e que ele, se recusou a fazer o BO. Geralmente, com isso, ele fará o BO.
Em caso de morte do animal, é necessário a necropsia do corpinho. A USP faz.
Em qualquer caso, encaminhar cópia de tudo para o Conselho Regional de Medicina Veterinária, pois todo pet shop deve ter um veterinário responsável.
A melhor forma de processar o pet shop, é invocando o Código de Defesa do Consumidor. Além das punições criminais cabíveis dos autores do crime, o tutor tem direito a uma indenização.
E, por favor, leve o animal quando puder ficar com ele durante o banho! Não o deixe sozinho no pet shop!!!!


- Maus Tratos a Animais por Funcionários de Pet Shops:
- O Que o Tutor do Animal Deve Fazer:
1. Em casos de maus tratos por pet shop, o tutor do animal deverá obter um laudo feito por veterinário que comprove os maus tratos;
2. Com este documento, poderá registrar a ocorrência de maus tratos na Delegacia de Policia mais próxima (BO), para iniciar o procedimento por maus tratos;
3. Ainda com este mesmo documento, mais todos os recibos de tudo o que tiver gasto com o animal depois da agressão, o tutor deverá ir ao “Forum Cível” mais próximo de sua casa e abrir - no Juizado Especial - um processo contra o pet shop, pedindo indenização por danos materiais;
4. Encaminhar cópia de tudo para o Conselho Regional de Medicina Veterinária, pois todo pet shop deve ter um veterinário responsável;
Observação: Estas medidas devem ser tomadas assim que a agressão for constatada, para que o laudo seja o mais fiel possível.
Denise Grecco Valente
OAB/SP 61.410

link http://www.direitoanimal.org/leis_resu.php?ord=42
Também, para uma ação contra o pet shop, pode ser invocado o Código de Defesa do Consumidor – geralmente, o estabelecimento é fechado, quando provado o dolo ou a culpa.
É claro, que estas medidas não trarão o animal de volta (em caso de morte). Em caso de morte do animal, é necessário uma necropsia do corpinho. Mas, podemos evitar que um estabelecimento irresponsável fira ou mate outros animais.
Além disso, o tutor deverá exigir que fique à vista, o certificado do Curso de Banho e Tosa do banhista e tosador, do pet shop.
Martha Follain.
Fonte: Florais e Cia

<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS