São Paulo, 29/05/2017        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 
Cérebro, Olfato e Aromaterapia - por Martha Follain.

O cérebro é a mais desenvolvida, mais volumosa e a maior parte do encéfalo humano, pesando cerca de um quilo e trezentos gramas. O cérebro requer 25% do sangue que o coração bombeia, e é particularmente complexo e extenso. Seu aspecto assemelha-se ao miolo de uma noz. Está localizado dentro do crânio, e sua análise química revela conter 78% de água, 10% de gordura, 8% de proteína, 1% de carboidrato, 1% de sal e 2% de outros componentes. É o centro de controle do movimento, do sono, da fome, da sede e de todas as atividades vitais necessárias à sobrevivência. Os cientistas já conseguiram elaborar um mapa do cérebro, localizando diversas regiões responsáveis pelo controle da visão, da audição, do olfato, do paladar, dos movimentos automáticos e das emoções, entre outras.
O sistema nervoso humano contém cerca de cem bilhões de neurônios (células nervosas que conduzem impulsos elétricos) interligados entre si. A palavra “neurônio” foi criada por Santiago Ramón y Cajal (1852-1934: médico e anatomista espanhol) que afirmou: “Os neurônios são as misteriosas borboletas da alma, cujo bater de asas poderá algum dia - quem sabe? - esclarecer os segredos da vida mental.” Os neurônios disparam pulsos elétricos, mas há outras teorias: em março de 2007, cientistas da Universidade de Copenhague, Dinamarca, propuseram um modelo em que a principal forma de comunicação entre os neurônios seriam ondas sonoras, e não a eletricidade.
O cérebro humano, apresenta dois hemisférios. Quando visto de cima, um grande sulco (fissura inter-hemisférica) separa o cérebro em duas metades: esquerda e direita, unidas pelo corpo caloso (consistindo em feixe de nervos), os quais trocam informações e se complementam, sendo que cada lado recebe e aprimora determinados estímulos e “opera” a parte oposta do corpo.

Atualmente, contempla-se o modelo de estrutura cerebral de Paul MacLean, diretor do “Laboratório de Evolução e Comportamento Cerebral do Instituto Nacional de Saúde Mental”, EUA. Ele concebeu um modelo de estrutura e evolução cerebral, que denominou “cérebro trino ou triúnico”. Segundo ele, “o cérebro humano, compreende três computadores biológicos interligados, cada um com sua própria inteligência especial, sua própria subjetividade, seu próprio sentido de tempo e espaço, sua própria memória, suas funções motoras e outras”.
Cada “cérebro” corresponde a uma etapa evolutiva diferenciada e fundamental. Os três cérebros são distintos em termos neuroanatômicos e funcionais, e contêm distribuições diferentes de neurotransmissores.

- Cérebro Reptiliano ou Arqueopálio (Era dos Répteis): a parte mais interna do sistema nervoso, o tronco cerebral e boa parte do início da medula. Primeira camada cerebral depositada durante o processo evolutivo. É o cérebro primitivo, ligado à sobrevivência e à auto-preservação. As reações instintivas, o comportamento repetitivo e as funções vitais básicas, como respiração e metabolismo de outros órgãos - assegura o funcionamento do corpo para garantir a sobrevivência. Tem como característica a preservação dos comportamentos mais antigos e a conquista e preservação do território. O Processo Reptiliano ou Operacional responde, primordialmente (não exclusivamente nem localizadamente, mas conjugadamente) pelos movimentos e pelos chamados instintos de reprodução, sobrevivência e agressividade.
Circundando o Complexo Reptiliano, encontra-se:
- Cérebro Paleopálio ou Sistema Límbico (Era dos Mamíferos Inferiores): área mais intermediária, recobrindo o tronco cerebral. É o cérebro intermediário ou o cérebro emocional. Todos os órgãos do corpo estão conectados com centros localizados no Sistema Límbico. Nessa região cerebral, encontram-se o tálamo e o hipotálamo, centros ligados às respostas à dor e ao prazer. O Sistema Límbico comanda as funções emocionais. Temos o Sistema Límbico em comum com outros mamíferos, mas o mesmo não ocorre com os répteis. A função básica do Sistema Límbico é reconhecer e informar o organismo a respeito das emoções agradáveis e desagradáveis. Em sua evolução incorporou as funções de aprendizagem. O Processo Límbico ou Intuitivo responde pela ludicidade, afetividade, criatividade, estética, nível alfa (relaxamento), religiosidade e apego a mitos.
Finalmente, a aquisição evolutiva mais recente:
- Cérebro Neopálio ou Cérebro Cognitivo ou Neocórtex: a parte mais externa e moderna do sistema nervoso. Vinculado à linguagem, pensamento lógico, analítico. Regula os processos de atenção e concentração, inibição dos impulsos e dos instintos, das relações sociais e do comportamento moral. Parte, freqüentemente, confundida como sendo o cérebro total. É revestida, bem externamente, pela camada cinzenta, zona densa em neurônios altamente especializados e capazes de múltiplas e simultâneas tarefas. O Neocórtex mais elaborado é o humano (primatas superiores), e o dos golfinhos e baleias. O Processo Neocortical ou Lógico responde pela comunicação, cálculo, raciocínio lógico, pesquisa, análise, crítica e feedback.

Compreendemos o mundo através de nossos cinco sentidos: olfato, paladar, tato, audição e visão devido a interpretações do cérebro.
O olfato e o paladar informam sobre a natureza química do que nos cerca. O nariz e a boca colhem as informações, e o cérebro as interpreta. O olfato e o paladar estão ligados. O olfato humano é um sentido primitivo, e as células olfativas se regeneram.

O olfato é o resultado da interação físico-química entre as moléculas que estão presentes no ar que respiramos e de certos receptores localizados dentro de uma pequena área dentro do nariz. Essa área dentro do nariz tem o nome de epitélio olfativo e, é muito sensível: poucas moléculas são suficientes para estimulá-lo, produzindo a sensação de odor. Esses receptores transformam a informação olfativa em linguagem especial (impulso nervoso), capaz de ser compreendida pelo cérebro humano.
O olfato foi, até há bem pouco tempo atrás, o sentido menos pesquisado. Somente há quinze anos foi mais profundamente estudado. Heinz Breer, neurofisiologista alemão, da Universidade de Stuttgart-Hohenheim, é o responsável por um importante estudo: ele pesquisou como os estímulos químicos que chegam ao nariz são transformados em sinais elétricos que o cérebro capta para transformar em sensação. Por esta pesquisa, Breer recebeu o Prêmio Leibniz da Sociedade Alemã de Pesquisa (DFG).

O Cérebro Primitivo, ou Reptiliano, que compartilhamos com outros mamíferos e répteis, era basicamente composto de tecido olfativo, e o olfato foi muito importante no processo evolutivo do cérebro, para um cérebro mais complexo. O Sistema Límbico, muito possivelmente, se desenvolveu a partir da função inicial de interpretar cheiros. Os cheiros agem no inconsciente, pelo fato dos nervos olfativos estarem diretamente ligados aos Cérebros Reptiliano e Límbico. O Sistema Límbico é também conhecido como Cérebro do Cheiro, e regula as atividades sensório-motoras¸ impulsos sexuais, reações viscerais, somáticas, emocionais e comportamentais. Segundo o pesquisador Dr. Jonh J. Ratey, “em contraste com os outros sentidos, os nervos olfativos projetam-se diretamente na amígdala e no córtex olfativo, que são partes integrantes do Sistema Límbico, sem qualquer intermediação do tálamo. Os nervos olfativos dispõem de uma linha direta para o cérebro emocional, e só então a informação é enviada para o córtex órbito-frontal, com vistas a mais associações, inibições e processamento adicional. A conexão “olfato”, é muito mais rápida e mais decisiva do que os sistemas para os outros sentidos, e não se registra muita filtragem antes da ação ser exigida pela memória adicional”.
Portanto, os cheiros evocam memórias de uma forma instintiva e emocional. Os óleos essenciais usados no tratamento de desordens emocionais proporcionam excelentes resultados.
Vários pesquisadores tentaram classificar os odores como fizeram com o paladar. Os odores primários são: canforado, almiscarado, floral, mentolado, etéreo, pungente e pútrido. Mas como há um número elevado de moléculas odoríferas e como o homem não tem um sistema olfativo bem desenvolvido como o de outros mamíferos, ficou difícil separar alguns tipos de cheiros bem próximos.
Existem doenças (e idade avançada) que podem levar à perda da sensação olfativa. Algumas doenças podem lesar a mucosa e os receptores; outras podem lesar as vias que projetam a sensação olfativa para o cérebro. Há também as que causam alucinações olfativas, ou seja, o indivíduo sente certos odores, apesar de não estar na presença de qualquer molécula odorífera correspondente.
A palavra “aroma” vem do grego e, significa “fragrância”. Terapia é o mesmo que “tratamento” - assim, “Aromaterapia” é o tratamento através dos cheiros, das fragrâncias. Aromaterapia é um ramo da Osmologia (ramo do conhecimento que se ocupa da compreensão do olfato e das partículas que, dispersas no meio, são captadas por células especiais, interpretando-as como cheiros pelo cérebro) que consiste no uso dos aromas de plantas para tratar humanos e animais – apesar de ser derivada da Fitoterapia, É uma ciência, e uma arte. A Aromaterapia é um tratamento abrangente, pois num primeiro momento acessa as emoções mais primitivas, de uma forma inconsciente (cérebros reptílico e límbico). Após essa experiência, o cliente pode analisar com seu aromaterapeuta suas emoções, com o cérebro neocórtex, seu consciente.
Das plantas são extraídos óleo essenciais a serem aplicados isoladamente ou combinados com outros aromas. Os óleos essenciais podem ser usados em massagens, compressas, água do banho, difusores, vaporizações, e podem também ser acrescentados em loções, cremes ou simplesmente inalados. Os óleos essenciais exercem uma influência sutil no corpo, mente e emoções.
É um tratamento seguro quando aplicado por terapeuta especializado - alguns óleos podem ser tóxicos, e perigosos se indicados por pessoa leiga.
É uma terapia não convencional, embora seja uma das técnicas mais antigas da história da prática de tratamentos. É considerada uma terapia holística, pois reconhece o ser vivo em seu todo: corporal, mental e emocional.
Atualmente, devido à sua grande diversidade de uso, a Aromaterapia é dividida em três áreas:
-Fisiológica: os óleos essenciais contêm princípios ativos, que podem tratar os estados fisiológicos. Os estados fisiológicos são: debilidade, fraqueza, astenia, desidratação, hipertenção, rouquidão, obesidade, desnutrição, letargia, hipotenção, flatulência, etc., e podem ser tratados com o uso de massagens, reflexologia podal, banhos, compressas, inalação, etc.. e como técnica de beleza aliada ao uso de cosméticos e outros produtos;
- Psicológica: conhecida como psicoaromaterapia, tendo como objetivo harmonizar e equilibrar as emoções e a alma do ser vivo, através dos efeitos psicológicos emocionais e mentais;
- Energética: com a frequência vibracional sutil dos óleos essenciais. A palavra “energia” vem do grego “energes”, “ativo” que por sua vez deriva de “ergon”, “obra”. Energia significa “atividade”. O Universo é composto por energia. A Teoria Quântica explica que a matéria densa é energia em certo grau de movimento. Até o ar que respiramos é composto pela mesma energia vital vibrando em outra freqüência.
A matéria, por ser também energia, vibra em determinadas freqüências. Quanto mais baixa for a freqüência da vibração, mais densa será a matéria. Quando a freqüência da vibração é mais elevada, a matéria será mais sutil.
Os seres vivos, assim como tudo na Natureza, são compostos de energia.
Segundo a Teoria de Einstein, massa é igual a energia condensada. Nosso organismo é massa, energia condensada, composto de células, moléculas, átomos que são formadas por prótons, nêutrons e elétrons. Nossos corpos, como tudo mais no Universo, são constituídos de átomos. O átomo é composto por um núcleo e uma eletrosfera. A eletrosfera é composta apenas por elétrons, os quais giram em torno do núcleo em locais diversos. Qualquer átomo no Universo está sempre recebendo energia ou cedendo energia. Todos os corpos, por sua composição são capazes de emitir e captar energia. O ser vivente é formado por células, e sendo as células unidades vivas, geram vibrações contínuas. Tais vibrações criam um campo de energia – o campo eletromagnético ou campo bioelétrico. Os óleos essenciais agem nesse campo.
O infindável sistema de energia satura todas as coisas animadas e inanimadas no Universo, envolvendo tudo num eterno processo de transformação, propagação e interação. A energia que os seres vivos absorvem é proveniente de variadas fontes: sol, alimentação de sólidos e líquidos, ar atmosférico, água, sono, etc.. A energia constitui o substrato básico do Universo. O corpo irradia calor, sendo esse calor energia vital.
A nomenclatura é muito variada, divergindo de cultura para cultura, de filosofia para filosofia, etc.. Por exemplo, no Japão a energia vital é conhecida como “Ki”, os russos chamam-na de “energia bioplasmática”, os hunas da Polinésia “mana” , os índios iroqueses americanos chamam-na “orenda”, na Índia é “prana”, nos países islâmicos “baraka”, na Cabala é “luz astral”, Wilhelm Reich chamou-a de “energia orgônica”, e na China é “Qi”.
Portanto, a Aromaterapia, como sistema de ampla atuação que é, tratando os desequilíbrios do organismo, as desarmonias psicológicas e energéticas, deve ser exercida por profissional com habilitação adequada. Além desse requisito básico, com ética, amor e muito bom senso.

Próximo tema: “Cérebro, Tato e Aromaterapia”.

Texto registrado na Biblioteca Nacional – Direitos Autorais.
Reprodução permitida – somente com a conservação de TODOS os créditos da autora e de seu trabalho.
Martha Follain: Formação em Direito, Neurolingüística, Hipnose e Regressão.
Terapia Floral de Bach, Aromaterapia, Terapia Floral de Minas, Fitoterapia Brasileira, Cromoterapia, Cristaloterapia, Terapia Ortomolecular, Bioeletrografia, Terapia de Integração Craniossacral - para animais humanos e animais não humanos. Consultora da “Phytoterápica” – Fornecedora e Distribuidora de Óleos Essenciais.
Cursos à Distância – vis Internet - criados e ministrados por Martha Follain: Curso de Aromaterapia para Uso em Animais; Curso de Aromaterapia para Uso em Humanos; Curso de Florais de Bach para Uso em Animais; Curso de Florais de Bach para Uso em Humanos; Curso de Cromoterapia para Uso em Animais.
INFORMAÇÕES:
www.floraisecia.com.br
mfollain@terra.com.br









<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS