São Paulo, 18/12/2017        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 
rildosilveira@yahoo.com.br

O comer é o mais universal de todos os rituais humanos.
Em qualquer parte do mundo se preparam os alimentos de acordo com o que é mais acessível, saboroso, nutritivo e econômico, ou somente pela facilidade em preparar.
Entretanto, o Bhagavad-gita, escritura proveniente da Índia, enfatiza outra consideração: "somos o que comemos".
O Bhagavad-gita declara que os produtos lácteos, os cereais, frutas e verduras aumentam a duração da vida e proporcionam força, saúde, felicidade e satisfação.
A carne, o pescado e os ovos são descritos como alimentos "pútridos, descompostos e sujos”.
De acordo com os Vedas, conjunto de Escrituras que abrangem todos os campos do conhecimento, do qual o Bhagavad-gita é parte essencial, as plantas, os insetos, os peixes, as aves, as feras e outras formas de vida inferiores a da humana, são forçados pelas leis da natureza a comer conforme seus instintos.
Os seres humanos, todavia, dotados com inteligência superior, podem adotar princípios espirituais mais elevados ao escolher seus alimentos.
Em todas as Escrituras mais relevantes se ordena que o homem viva sem matar desnecessariamente.
Tanto no Velho como no Novo Testamento encontramos a ordem "Não matarás".
No Gênesis, apesar de ser dado ao homem o domínio sobre todas as criaturas, observamos com clareza que esta posição superior invoca a compaixão e não a agressão.
A matança de animais é completamente proibida no Budismo e está restringida no Corão.
O Bhagavad-gita conclui que nossa posição no mundo é única, porque nós seres humanos podemos compreender a existência de um Ser Supremo, criador e mantenedor que provém sustento para todas as formas de vida.

<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS