São Paulo, 25/06/2017        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 
Para muitos, todo início de ano é sinônimo de recomeçar, de refletir, de comprometer-se com promessas, como se o tempo fosse zerado. Ele não pára e a vida também. A globalização não deixará de manter o privilégio de poucos e, nem tampouco, vai impedir a redução da desigualdade social, da exclusão, do sectarismo racial e religioso. A maior parte da África continuará em guerra, enquanto se busca a tão sonhada paz. A prepotência dos países ricos não se reduzirá e nem o descaso com a natureza, causador das estripulias climáticas, que derretem geleiras, aumentando o bramido do mar e de suas ondas furiosas. O fisiologismo político será ainda maior.

A ciência não guarda sábados, domingos, feriados e finais de ano. O homem, por meio da decodificação dos mecanismos de criação da vida, buscará, incessantemente, por inovações inusitadas, ousadas, para alcançar a excelência, mesmo desrespeitando os limites da ética, da dignidade humana e de outras espécies, apesar das divergências ideológicas, de contestações pelo medo, descrença e insegurança.

A clonagem de embriões humanos para tratamentos de regeneração e substituição de células doentes, deverá seguir o seu trajeto normal de discussão, de esperança e de posterior execução. Não serão sepultadas as chances de se empregar a clonagem reprodutiva para fins escusos, como já fazem com os animais domesticados. Os alimentos geneticamente modificados continuarão ganhando as prateleiras de supermercados, sem recuo, mesmo que a técnica seja afrontada pelos extremistas, e não se limitará somente em estudos com vegetais.

Se o homem aprendeu com erros, certamente não deixará de fazê-los neste ano. Muitas expectativas serão frustradas, mesmo que haja a boa intenção de resolver ou minorar os problemas da humanidade, pois, soluções mágicas ou milagrosas não acontecem em curto prazo.

Já se fala, inclusive, de amenizar o aquecimento global e a expansão dos oceanos, pelo derretimento de geleiras, com o uso de "sombrites", lançados por satélites.

A procura por planetas habitáveis, em outros sóis, será acelerada e, se forem descobertos sinais de vida extraterrestre, a ciência mudará de rumo e os conhecimentos não se restringirão somente nas teorias fundamentadas em séculos passados. Novos conceitos serão discutidos sobre a existência, a essência humana. Os valores espirituais irão se sobrepor aos materiais, com o homem sendo mais solidário, na certeza de que o universo foi projetado e executado por uma grande inteligência, com muitas moradas.

A engenharia genética poderá acelerar a evolução humana ao dar maior complexidade ao DNA, mas, o grau de inteligência, somente será maior quando houver o aumento do cérebro e, obviamente, o feto terá de ser gerado fora do ventre materno, por questões anatômicas. Mesmo assim, as mensagens químicas responsáveis pela atividade mental, continuarão sendo relativamente lentas, sem respostas rápidas, idênticas ao problema dos computadores, já que a velocidade, como sempre, esbarra no limite da velocidade da luz.

Pelo que se vê, portanto, não há limites do tempo. Ele apenas é um marco, uma referência, mas as mudanças podem acontecer em qualquer momento. Basta, apenas, formar uma conferência mundial de cidadãos para decidir sobre o futuro das pesquisas científicas, demonstrando, claramente, que o homem não pode destruir os recursos naturais renováveis e nem reduzir a adversidade de espécies para homogeneizar a sua (eugenia). Caso contrário, a receita mais aceita, pelos especialistas, em razão da fervura ambiental, o planeta vai formar um novo "caldo primitivo" para que a vida recomece.
*******
João Salvador - biólogo do CENA (Centro de energia nuclear na agricultura - USP);
colunista do site Greepet - www.greepet.vet.br ;
colunista pelo site Santa Ignorância ! - www.santaignorancia.rg.com.br ;
colunista do site ABC Animal - www.abcanimal.org.br ;
colunista do site Petfeliz - www.petfeliz.com.br ;
colaborador do "Jornal de Piracicaba", "Gazeta de Piracicaba" e "Tribuna Piracicabana".
colunista do site Florais e Cia - www.floraisecia.com.br
e-mail: salvador@cena.usp.br




<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS