São Paulo, 25/06/2019        
PÁGINA INICIAL
Florais de Bach para animais
 
ARTIGOS     
 


Os animais podem deixar belas lições ao homem, ao oferecer-lhe o exemplo de amor, de amizade, companheirismo e de fidelidade, desde que, porém, o afeto seja mútuo. Esta relação interespecífica traz significantes benefícios na busca humana pela alegria imediata e de sentimentos positivos. É uma terapia ou magia curativa, necessária para aliviar a tristeza de pessoas depressivas, desamparadas e idosas, e de crianças portadoras de doenças crônicas.

A convivência de crianças com cães ou gatos pode reduzir a probabilidade de sofrerem de alergias e da asma, cujo contato permite que seus corpos construam defesas contra alergênicos, o que se caracteriza, portanto, brutal incoerência abandoná-los por este motivo.

Agora, uma empresa norte-americana de biotecnologia, investe em pesquisa com o propósito de alterar os genes dos gatos para que os problemas alérgicos nos donos, atribuídos aos pequenos felinos, sejam resolvidos, com a supressão de um gene específico que produz a proteína que se encontra, principalmente, na pele, na saliva e na urina desses felinos. É o gato antialérgico.

Eu, particularmente, apesar de entender o desconforto sofrido pelas pessoas alérgicas, não acredito que se justifique a produção de gatos geneticamente modificados, mesmo porque, a partir da descoberta da estrutura do DNA, por Watson & Crick, a ciência trilhou novos rumos e os cientistas, de certa forma, vasculham a escuridão da genômica natural e os genes, em certos casos, são manipulados e jogados, como bolinhas de sorteio, de acordo com interesses comerciais. Neste caso, é visível, notório que, ao invés de ajustar o ambiente ao animal, buscam-se formas de mudar o animal para ajustá-lo ao ambiente.

Existem comprovações científicas de que algumas espécies animal, depois de longo período de domesticação, apresentam, além da inteligência, da capacidade de abstração, de raciocínio, têm vontade e iniciativa de comportamento e, até mesmo, genomas parecidos com o do homem. Certos cães e gatos já atingiram um grau de evolução mais elevado, capazes de falarem certos dialetos, que somente o grau de sensibilidade de seus donos os entendem.

Pelo fato de o homem ser tido como um ser evoluído, um mutante, talvez, seja por obra da criação divina, ou pela própria imagem e semelhança das leis de Darwin, não é surpreendente que os animais, em contato com um ser racional, adquiram um padrão de equipamento biológico mais sofisticados.

Com esta estreita relação, os animais mais próximos ao homem, com mudanças nos hábitos alimentares e na mudança comportamental, acabaram adquirindo doenças crônicas não-transmissíveis, comuns à espécie humana. Doenças características de velhice, como câncer, diabetes, osteoporose, cataratas, deficiências cardíacas, renal, e, por incrível que pareça, há casos de gatos e cães neuróticos, psicóticos, irascíveis. É muito sintomático o fato de cães obesos terem donos obesos, ou superativos, nervosos.

O homem apresenta componentes "animalescos" em sua personalidade e comportamento. Basta observar certas atitudes imperativas de defesa territorial, de rituais e de outros componentes de ações nitidamente instintivas. Tudo que o homem sente esses animais de convívio também sentem, como emoção, tristeza, depressão, dor, fome, sede, que se manifestam por meio de expressões. Aliás, para dizer a verdade, os especialistas vêm aprendendo muito com os animais sobre o comportamento do homem.

Portanto, essa modificação, proposta pela indústria do dinheiro, pode mudar o curso natural do comportamento dos felinos domésticos, e, daí, de mudanças em mudanças se altera todo um processo que a natureza concedeu e que concebeu, principalmente colocando o homem, apenas, como um fio particular da teia da vida, mas que ele não exagere em seus procedimentos, por julgar superior a todas as espécies, mesmo porque a natureza viveria muito bem sem a sua intromissão.
*******
João Salvador - biólogo do CENA (Centro de energia nuclear na agricultura - USP);
colunista do site Petgree - www.petgree.vet.br ;
colunista e co-responsável pelo site Santa Ignorância ! - www.santaignorancia.rg.com.br ;
colunista do site ABC Animal - www.abcanimal.org.br ;
colunista do site Petfeliz - www.petfeliz.com.br ;
colaborador do "Jornal de Piracicaba", "Gazeta de Piracicaba" e "Tribuna Piracicabana".
colunista do site Florais e Cia - www.floraisecia.com.br
e-mail: salvador@cena.usp.br

<<Voltar para página Anterior

 

 

Topo^   

COLUNAS